0

A importância da vitamina D no seu organismo

Conheça seus benefícios, que vão muito além de ajudar na saúde dos ossos.

 

A vitamina D é muito importante para o nosso corpo humano, porque ajuda na absorção e fixação do cálcio. Além de suas funções mais conhecidas relacionadas à saúde dos ossos, é responsável também por outras atividades, trabalhando como reguladora do crescimento, sistema imunológico, cardiovascular, músculos, metabolismo, insulina e na prevenção de doenças.

A substância, na verdade, é um hormônio produzido pelo próprio corpo humano, quando esse processo não é suficiente sua reposição deve ser realizada através da alimentação.

Uma das dicas para descobrir se há falta dela no seu corpo é observar a pele. O sol é responsável por sintetizar a vitamina D no organismo. Então, se sua pele está mais escura é sinal de deficiência, pois o pigmento protege a pele e impede a absorção.

 

O que acontece se houver deficiência de vitamina D?

 

A deficiência de vitamina D está relacionada a várias doenças, entre elas, doenças autoimunes, doença inflamatória intestinal, infecções bacterianas e virais, doenças cardiovasculares, câncer e doenças neurodegenerativas. Idosos, crianças, gestantes e mulheres amamentando, negros e obesos têm maior chance de desenvolver deficiência de vitamina D.

 

Conheça abaixo mais sobre essa potente e importante vitamina e como garantir seus níveis corretos no organismo.

 

A principal forma de ativar a vitamina D no organismo é através da exposição solar. Pode ser encontrada ainda em alguns poucos alimentos, como peixes gordurosos, óleo de fígado de bacalhau e cogumelos secos. Leite, ovos e fígado bovino também têm a vitamina, mas em menor quantidade.

Veja abaixo alguns outros pontos importantes sobre essa vitamina:

 

  • Músculos fracos

A fraqueza muscular pode ser ocasionada pela falta de vitamina D, uma vez que os músculos esqueléticos só funcionam adequadamente com níveis ideais no corpo.]

 

  • Depressão

Durante a adolescência, a deficiência de vitamina D pode gerar distúrbios psiquiátricos como a depressão.

 

  • Doenças respiratórias

Infecções respiratórias com certa frequência pode indicar falta de vitamina D no organismo. Segundo estudos realizados no Japão, crises de asma foram reduzidas em crianças que tomaram suplemento de vitamina D.

 

  • Enfraquecimento dos ossos

A falta de vitamina D impede o organismo de absorver a quantidade de cálcio adequada, levando ao enfraquecimento dos ossos e ao aumento do risco de desenvolver fraturas Isso acontece quando a quantidade de cálcio e fósforo em nosso organismo está irregular, fazendo com que a absorção de sais minerais no intestino aumentem.

 

  • Doenças cardiovasculares

Um estudos realizado pela Universidade de Harvard comprovou que baixos níveis de vitamina D no sangue podem dobrar o risco de doenças cardiovasculares.

 

  • Benefícios para coração e músculos

O cálcio e o fosforo, substâncias reguladas pela vitamina D, têm um papel importante na contração muscular, valendo isso para todos os tipos de músculos, inclusive o coração. Quando há a deficiência da vitamina no organismo, é maior o risco de quedas e fraturas, devido à fraqueza muscular. No coração, tem influência no controle das contrações do músculo cardíaco, importante no bombeamento de sangue para o corpo.

 

  • Sistema imunológico

As células que fazem parte do sistema imunológico, como os linfócitos, têm receptores para a vitamina D, que atua no fortalecimento do sistema de defesa, auxiliando na prevenção de doenças.

 

Estar com um bom índice de vitamina D pode ajudar no processo de emagrecimento?

 

Com certeza. A vitamina D faz a manutenção da produção de insulina no pâncreas. Portanto, baixos níveis séricos dessa vitamina diminuem a produção de insulina e elevam os níveis de glicose no sangue. Quanto maior o nível de glicose maiores as chances de desenvolver resistência à insulina e, futuramente, diabetes.

 

Leia também: 3 dicas de como emagrecer de forma saudável

 

Atenção!

 

A ausência de vitamina D enfraquece os ossos, aumenta a vulnerabilidade e possibilidade de contrair infecções, provoca transtornos de humor e quatro vezes mais riscos de desenvolver diabete tipo 1.

Fernando Henrique

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *